quarta-feira, junho 29, 2005

O Faz Tudo e a Maria

O Faz Tudo conheceu a Maria vão para aí uns 41 anos!

Andaria Ela por volta dos seus 36/40 anos.


Em plena pujança da sua adolescência, ele, namorava uma das miúdas da casa onde ela trabalhava!

Namoro proibido, sabe-se lá porquê!

Mas as loucuras da juventude tudo ultrapassavam e com a conivência da Maria, lá se iam encontrando, às escondidas!

Quantas vezes Lhe ouviu: "meninos, vem aí o Paizinho!" era só tempo de dar às de Vila de Diogo e pernas para que vos quero!


Hoje imagina como Ela devia ficar contente, com a cumplicidade!


Assim nasceu um amor eterno por aquela Mulher, que desde menina e até ao encetamento da sua viagem, serviu com denodo, carinho e muito amor, aquela família!


Criou assim as três criaturas, traquinas, filhas dos patrões.

Criou assim as seis criaturas, traquinas, netas dos patrões.

E ainda conseguiu começar a criar a primeira bisneta, dos patrões.

Até do "menino" Nikus (pastor alemão, do Faz Tudo), Ela tratava, quando por lá passava uns dias mais ou menos prolongados!
Nunca, o Faz Tudo, viu aquela Mulher que não fosse com um sorriso na boca, numa busca constante de ser agradável, sem ser humilhantemente servil!

Tudo fazia naquela enorme casa, com jardins e lago!


Toda a gente era "menino", os da casa, os amigos novos ou mais velhos quer dos patrões, quer das crias!

Levava pequenos almoços à cama à rebelia das ordens! coitadinhos dos "meninos"!

Cozinhava como nunca até hoje o escriba encontrou alguém que se lhe aproximasse!

Tinha a enorme casa, jardins e lago (para não falar dos vários e explendorosos anexos) sempre absolutamente impecáveis!


A Maria era daquelas pessoas que "não há"!


Católica ferverosa, ouvia com a maior das serenidades as aleivosias, quantas vezes propositadas, da malta mais nova! sempre o mesmo sorriso! oh! meninos" isso não se diz!

Aceitava todas as modernices, embora sempre a conhecesse do mesmo jeito, com o seu longo cabelo apanhado numa espécie de rolinho logo a seguir à nuca (crê que se chama puxo?).


Prometia e cumpria as promessas!

Foi quantas vezes a Fátima a pé, por lhe terem sido concedidos os seus pedidos!


Assistiu aos baptizados de três gerações!

Assistiu aos casamentos de duas gerações!

Assistiu à partida do patrão, que durante anos e com provavel muito sofrimento, o tratou, como dezenas de anos antes, tratou os bébés!


Um dia adoeceu com gravidade.

Foi a altura de todos quantos por ela foram criados, retribuirem do coração!
Assim foi!

Todos, sem excepção a apoiaram, acompanharam, acarinharam, enfim, tudo fizeram para que nada deste mundo lhe faltasse e tentassem minimizar o sofrimento!

Honra seja feita a esta Família que assim se comportou!


Partiu há poucos anos, mas o Faz Tudo tem a certeza que não há um dia em que todos se não lembrem daquela santa: a Maria!


Deixou muitas saudades!
Muitas hitórias havia a contar!
Talvez o venha a fazer de quando em vez, em sua memória!

3 comentários:

JMC disse...

Meu querido amigo.Como sabes tive oportunidade de conhecer a Maria, não tão intimamente como tu mas deu para perceber que tudo quanto referes na homenagem que lhe prestas é bem verdade. Escrevo-te com um nó na garganta pois transmites bem o que uma criatura como a Maria pode deixar de saudades e exemplos para todos nós neste mundo materialista e egoísta que vivemos. Um grande abraço solidário. Que a Maria esteja no lugar que merece.
JMC

Jorge disse...

É bom ouvir palavras de gratidão, o que só demonstra a generosidade de quem as profere.
Parabéns por seres capaz de te dar com amizade sem pedir nada em troca.
Vai trabalhar madraço.
Um abraço amigo.

moon between golden stars disse...

Voltaste amigo...
Que bom... fico contente que nos dês estes presentes de vez em quando...
Imagino pela descrição que fazes que a Maria seria um excelente pessoa...especial...

Um abraço grande

Free counter and web stats