quinta-feira, julho 03, 2008

A minha árvore















(clica na photo que aumenta)
(photo minha)



Declaração de interesses:

1 - quase garanto que de maluco tenho muito
2 - passou-me pela cabeça que um dia seria Nobel de qualquer coisa
3 - Fui nado e criado algures noutro planeta

Depois disto, talvez alguém que leia este panfleto, o entenda.

Há poucos dias, depois da toma do único cafèzinho diário, na esplanada do costume, enfiei o chapéu e fui dar uma esticada às pernas.

De repente, debaixo de uma árvore de folhas pinuladas e flores amarelas a roçarem-me a cara, dei-me conta que a afagava e lhe falava como se fora com o meu velho Nikus.

Contei-lhe um pouco da minha história, mas também nos rimos com tanto disparate que dissemos.

Não comecem já a pensar que é treta!

É a mais pura das verdades, tenham a certeza que ela me ouviu e na sua impossibilidade de histrionicamente se exprimir, deixou-se embalar pela brisa e qual mão protectora me prometia felicidades, alisando-me o pouco e pequeno cabelo.

Ok!

Agora vais tu com o teu ar sabichão, nas minhas costas, dizer ao outro que, coitado ... está tolinho!

E logo de mim que fico mesmo muito ralado!!


3 comentários:

Anónimo disse...

que bom reencontrar-te!
estava com saudades dos teus escritos.
abraço
graziela

nanda assis disse...

muito legal!!!
bjosss...

lobices disse...

...dizem que elas, as árvores, nos ouvem...podes crer que não estás maluquinho...eu acredito
...um abraço

Free counter and web stats