sexta-feira, julho 20, 2007

O Faz Tudo o Simbolo e o Signo










( photo de Carlos AGM)

Um dos locais de eleição para passar uma nesga da tarde na leitura do livro em leitura é, nesta época do ano, o anfiteatro ao ar livre dos jardins do Centro de Arte Moderna, Gulbenkian.

Fresco, arejado, ponteado de pessoas que partilham o mesmo prazer, silencioso quanto baste para ouvir o restolhar das folhas das árvores e arbustos, ao sabor da brisa, qual barco numa bolina pouco cerrada.

Ali o Faz Tudo passa pedaços de algumas tardes em paz.

Cogitações nos intervalos dos capítulos lidos, provocam descargas de ressentimentos e frustrações iguais à descarga pela válvula do lavatório, aquando da limpeza das mãos.

Do livro em leitura, de autor japonês, deu-se conta de pergunta insólita:

"Qual a diferença entre SIMBOLO e SIGNO ?"

Sem continuar, procurou tentar a resposta à questão e, pelos vistos, chegou à mesma conclusão do autor.

SIMBOLO: representa, embora o representado não represente o que o representa,

SIGNO: representa, embora o representado represente também o que o representa.

Está neste momento no café da esquina a "chutar" uma cafeína e não vindo nada a propósito, apeteceu-lhe escrever isto!

Tenham uma boa tarde!

É fim-de-semana!

3 comentários:

truebas disse...

Bonito blog. FazTudo, que autor japonês é esse?

Carlos disse...

... obrigado pelo comentário!

... o autor a que me refiro é:

-----HARUKI MURAKAMI-----

... eu gosto!

truebas disse...

ok. obrigado!!

Free counter and web stats