terça-feira, setembro 27, 2005

O Faz Tudo e o olhar para trás



Assolou-o, hoje, um pensamento ou recordação (como quiserem), quando no seu trajecto higiénico-pedonal, passou por uma mulher de que o mínimo que pode dizer, para a classificar, era cinco estrelas!

Ela, absorta com os seus botões, nem sequer reparou que alguém se tinha cruzado, no estreito e esburacado piso por onde caminhava.

Outrora, qualquer homem, com qualquer grau intelectual, social, económico, religioso ou outro, não deixaria de, dizendo ou não um piropo, olhar para trás e consolar-se a ver uma obra prima, criatura mais que obviamente feita de modo a "acreditar" na existência de Deus!

Contudo hoje, numa sociedade cada vez mais gayana ou em contraponto mais ordinária, o Faz Tudo debateu-se com a dúvida de se devia, como queria, ou não olhar para trás!

Por um lado se o não olhar poderia ser conectado com uma postura gay, por outro poderia ser interpretado como uma macho-latino-atitude, que francamente, quer uma quer outra, não corresponderiam à realidade.

Triste sina esta, dos homens que hoje têm este problema!

Ou são gay!

Ou são porcos!

O Faz Tudo não se enquadra em nenhuma destas espécies!

Limita-se a ver e não cobiçar, o belo, seja ele de que disciplina for!

Como resultado da experiência de hoje, deixou-se afastar q.b. para, disfarçadamente fingir olhar para a montra duma loja dos 300 e de soslaio ver, já no longínquo, a bela figura que se afastava!

... Mas olhou para trás!



3 comentários:

Antonio Stein disse...

Verdade, é uma chatice!

Convém é não parar ao olhar, é que, com o movimento da "Star" ainda ficamos feitos estacas tipo "torre de Pisa" !

O Efeito "Saloio" também convém ser disfarçado (q.b.) e para isso nada melhor do que andar munido de óculos escuros com retrovisores.

Mas afinal, o que a Natureza de Belo tem, o olho retém e não somos Cegos felizmente!

Cumprimentos

Jorge disse...

Eucá também ficava estarrecido e se calhar até parava, embasbacado como um verdadeiro nordestino.
É que já vai sendo tão raro ver um especimen desses que não seja da ilha de lesbos que todo o direito nos assite; até de ficar de boca aberta e estacado como uma torre qualquer, não sendo preciso ir a Pisa; bastava a dos Clérigos.
E é um bom sinal quando isso acontece.
E a prova de que essa cambada de panascas que por aí anda ainda não tomou conta de tudo!!!

Antonio Stein disse...

Um olhar "embasbacado" em rotação, sempre desequilibra.
Efeito que a dos Clérigos não surte!

Free counter and web stats