segunda-feira, abril 10, 2006

o faz tudo no tempo




Tal como o pêndulo de Foucault que, no seu vai-vem eterno, vai rodando ao ritmo das horas, também o escriba oscila ao longo das jornadas.

Movimentos lentos, elegantes em que quantas vezes o ritmo parece acelerado, mas que inexoravelmente se passa ao compasso das horas.

O Tempo, neste Espaço vai-se matando, ora enraivecido e rápido, ora numa lentidão de mar aberto, calmo e sem tormentas.

Marinheiro da vida, o Faz Tudo, vai-se quedando ondular ao sabor das vagas e seus caprichos.

Tem tendência para usar o piloto automático e deixar-se ir ao sabor das venturas e desventuras, mas com o controlo remoto por perto, para acertos pontuais.

A rota, tem conseguido, embora por vezes com rajadas poderosas e traiçoeiras, levá-la avante.

Tenta afastar-se, tanto quanto pode, dos perigos de terra perto.

Não se admira pois que com tantos anos de náutica pratica, antecipe e preveja (redundância) o tempo que se vai sentir.

Vai calmo, contra correntes e marés, ou não, tal como o pêndulo na sua quase metrónica cadência!

E hoje esteve um belo dia de navegação!

3 comentários:

FM disse...

...o Tempo...o Espaço...a Rota....
deixa-os ser.....sómente.

Tudo na vida tem um preço, por vezes baixo por vezes razoável mas outras e tantas vezes, muito elevado também!!!

Fëaraniâ disse...

Vim à deriva e encontrei aqui os instrumentos. Que belo dia para navegar!

Antonio Stein disse...

"Tanto Mar, Tanto Mar!
Sei também quanto é preciso pá,
Navegar, Navegar,
Canta a Primavera pá!"

Recifes de belos corais há.
Com as vagas e acelerada erosão,
Nem vale a pena encalhar lá.
Não é motivo de preocupação!

Mantenha a rota Capitão,

Boa Páscoa

Free counter and web stats