segunda-feira, janeiro 30, 2006

O Faz Tudo e a espera




Caiu do cavalo quando galopava campos e serranias fora, só dando conta que não havia cavalo, nem estava no campo ou sequer numa encosta serrana, quando o despertador avisou que eram 16:59.

Esperava, semi ouvindo uma musiquinha a seu gosto enquanto o Sol aquecia, dentro da carripana!

Também faz parte da vida do dia-a-dia, a espera.

Espera-se para e por tudo!

São 5 da tarde em ponto e a companheira assomou à porta do seu (dela) escritório.

Já sacudiu a poeira da queda do cavalo e, vão-se!

Até porque há sempre um ir e vir, além dum rir!

Post scriptum:
Está com a impressão que de momento os circuitos inter-encefálicos estão com voltagem a mais! ou se calhar a menos!

Terá sido da neve de ontem?

Isto passa!

1 comentário:

grzl disse...

olá, cavaleiro andante!.
bons sonhos.
um abraço
graziela

Free counter and web stats