quinta-feira, janeiro 19, 2006

O Faz Tudo e a ida ao sotão


(miniatura de Julio Monfort)

Subiu ao sótão e abriu o baú onde guarda tralha que constitui e pode de algum modo, reconstruir-lhe o passado.

Fotos, papeis, objectos, fragmentos das mais variadas proveniências e também muitas ideias, juízos, julgamentos, amores, estudos, leituras, discussões, alegrias, tristezas, conhecimentos, dúvidas, viagens...

No meio de tudo isto, lá bem no meio da tralha, apareceu-lhe o tempo vivido em Tabuaço, logo no início da sua vida consciente.

Aí começou a formar-se.

Foi a ida para a primária.

Foi a bicicleta.

Não tem qualquer registo, por muito que revolvesse aquela parafernália, de um único colega de aulas.

Lembra-se sim do professor Acácio Machado, da rampa que o levava até lá cima, dum bando (hoje irreconhecível) de putos que calçados com tamancas de pau faziam frente à neve nos Invernos e aos calores sufocantes dos Estios.

Encontrou também, como flashs, as idas de caminheta até Vila Real, passando pela Régua, naquele tempo, paragem obrigatória (até para descanso do motorista).

Aqui olhava-se o Douro, ao tempo ainda selvagem e que no tempo das chuvadas era vê-lo cheio, turbulento, grande, aterrador, castanho-barrento, mas que punham este que era miúdo, em êxtase!

A viagem era duradoira, começando pela descida, em curva e contra-curva, até ao Douro, seguindo-se de novo em curva e contra-curva, a subida até à Campeã, já nos limites de Vila Real.

Havia sempre farnel! que a Mãe confeccionava com desvelo... belos pastelinhos de bacalhau!

Pela mão firme do Sr. Manuel, a viatura chegava ao destino e era a alegria do encontro com os Avós e casa, com beijinhos e abraços.

Voltou a meter tudo no baú e quem sabe daqui a algum tempo volte a revolver aquela tralha toda!

1 comentário:

FM disse...

Alguém disse que recordar é também viver, assim sendo não deixes nunca de o fazer....
Nove anos nos distanciam, neste caso o mais do que suficiente para, no que a mim diz respeito, Tabuaço fazer parte apenas de um mundo imaginário, um mundo apenas contado e não vivido.
Abraços.

Free counter and web stats