terça-feira, novembro 01, 2005

O Faz Tudo e um escrito da Mãe




O Faz Tudo recebeu de sua Mãe, a quem chama carinhosamente Andorinha e que conta com 83 anos, um manuscrito (com a indicação: não sei se isto vai parar ao Faz Tudo!) que não resiste mesmo a transcrever no seu blog.

Então diz assim:

"Foi neste último beiral que fiz o meu ninho, embora tenha feitos muitos em variados beirais, pois o Airão tinha assim que fazer.
Foram construídos com amor e barro de princípio, não muito consistente, mas aos poucos foi ficando mais forte.
No primeiro beiral, a Andorinha, pôs dois ovos, dois passarinhos de penugem aloirada.
Depois, com gorjeios enchiam minha alegria.
Mas o Airão teve que conhecer outros beirais e no terceiro, outro passarinho saiu do ovo.
Já os outros tinham penas.
Não vale a pena conhecer mais beirais e vamos ao penúltimo.
Aí os passarinhos passaram a pássaros e também fizeram os seus ninhos, sem contudo deixarem de debicar no ninho que deixaram, levando com eles as Alvelolazitas, uma delas muito canora que até chilreava ópera!
Também apareciam por lá aves de todas as espécies e idades, às vezes em bandos, mas tinham sempre algo para debicar, pois havia sempre boa vontade e nessa altura a Andorinha tinha asas bem fortes.
Como acima disse, foi neste beiral onde agora estou, o último ninho que construímos.
Durante anos ainda este acolheu e deu painço a muitas aves, tanto pertencentes, como não o sendo.
É bom não esquecer os passarinhos que foram aparecendo e que era aqui que se aninhavam, enquanto os pássaros mais velhos e as suas Alvelolas iam trabalhar para a alpista.
Havia uma passarinha mais atrevida e mexida.
Tenho saudades desses tempos!
Agora as asas que então eram fortes, são desasadas!
O ninho que durante anos resistiu, foi desmoronando com os temporais da vida!
A Andorinha de asas quebradas vai aos outros ninhos, ora num, ora noutros, debicar algumas migalhas, dadas sempre de boa vontade.
Mas as aves são seres vivos e, como tal, também sofrem.
Sabem isso, pois mesmo velhas ainda não perderam a razão.
Às vezes era bem melhor perdê-la!"

O Faz Tudo não se atreve sequer a comentar!

Limita-se a informar, para melhor compreensão que os beirais a que se refere, são localidades, uma vez que o Airão (Pai do Faz Tudo) por lei, era obrigado a trocar, de tempos em tempos.


5 comentários:

grzl disse...

escrito mais lindo e comovente, o da tua Mãe!.
dá-lhe um beijo, por mim.
um abraço
graziela

Choninha disse...

FazTudo parabéns pela senhora sua mãe. Que poste bonito! Obrigada pela partilha. Beijos

Jorge disse...

Já devias saber que a velhice é um posto não só de sabedoria, mas também de emoções indizíveis.
Um beijo para atua velhinha com desejos de uma melhor saúde.

moon between golden stars disse...

O texto é magnífico... assim com a idade da tua mae...
para ti um jinhu... para ela se me é permitido... um abraço cheio de vida!

Maria Papoila disse...

Que mãe maravilhosa!!
Que essa andorinha ande por cá a anunciar muitas mais Primaveras!
Um abraço para os dois!

Free counter and web stats